RUA DA REPUBLICA 235 CENTRO
CEP 58.010-180 JOÃO PESSOA - PB
FONE:
(83) 3031 2903
FAX: (83) 3031 2903
EMAIL:
sindacs.pb@hotmail.com

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Assédio Moral em debate‏!

O “Seminário Impacto do ASSÉDIO MORAL à Saúde do Trabalhador”, realizado pela Central Única dos Trabalhadores na Paraíba (CUT-PB) debateu as causas e as consequências alarmantes de um dos temas mais importante do mundo do trabalho. O tema foi apresentado através de uma palestra de um dos maiores especialistas do Brasil na área: Dr. Roberto Heloani, que é advogado, psicólogo e professor da Unicamp e da Fundação Getúlio Vargas.

O Seminário aconteceu no Hotel Caiçara, em João pessoa e teve o apoio do Centro Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) João Pessoa e Cerest Paraíba, além do Ministério Público do Trabalho e do Ministério Público Estadual. Entre os participantes estavam Trabalhadores de diversas áreas, Representantes de Sindicatos, Docentes, Profissionais da área de Saúde, Advogados, entre outros.

                De acordo com o Dr. Robeto Heloani, o assédio moral encontra espaço na atualidade porque as novas formas de comunicação e condução do trabalho fazem com que a barreira entre a vida pública e a mundo do trabalho seja muito tênue. Ou seja, celulares e ainternet fazem com que o trabalho seja levado para casa. “Hoje, está difícil saber onde acaba o trabalha e onde começa o nosso lar”, disse o professor.

            Entre as conseqüências de um mercado de trabalho competitivo, segundo o palestrante podem ser as mais diversas. No caso das mulheres, a preocupação em estabelecer uma carreira traz como conseqüência o adiamento da maternidade, muitas vezes representando risco de saúde para as trabalhadoras. Já para os homens, cria-se o dilema de até quando se deve ter disposição e energia para a produção.

            Dr. Heloani destacou ainda que adoecer do ser humano não é visto pelo sistema que visa o lucro como resultado e que o profissional que adoece se torna um perdedor, que será isolado ou então posto para fora da empresa. 

Fonte: CUT/PB

Nenhum comentário:

Postar um comentário