RUA DA REPUBLICA 235 CENTRO
CEP 58.010-180 JOÃO PESSOA - PB
FONE:
(83) 3031 2903
FAX: (83) 3031 2903
EMAIL:
sindacs.pb@hotmail.com

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Mobilização da CUT continua em Brasília pelo Fim do Fator Previdenciário!

Todos/as a Brasília, 28 de novembro (quarta-feira) para avermelhar o Congresso Nacional


Foi muito importante nossa mobilização em Brasília esta semana, pelo Fim do Fator Previdenciário. Mas a votação ficou para o próximo 28 de novembro.
A proposta que a Central Única dos Trabalhadores defende é a emenda aglutinativa ao substitutivo do deputado Pepe Vargas (PT-RS) sobe o Projeto de Lei 3.299/08 (em anexo). A proposta  aprova o fator 85/95, que soma o tempo de contribuição e a idade. Caso o resultado seja 95, para os homens, e 85, para as mulheres, a aposentadoria será integral e não dependerá mais do fator.
Novamente, a CUT convoca dirigentes e militantes da cidade de Brasília para uma ação no Congresso Nacional no próximo dia 28 de novembro. Reafirmamos a importância de os Ramos e de grandes Sindicatos de outros Estados se juntarem nessa mobilização em Brasília, enviando seus/suas representantes.
A militância CUTista se concentrará às 13 horas, na Entrada do Anexo II da Câmara dos Deputados, para ação no Congresso Nacional. À tarde, os/as CUTistas se dirigirão ao Plenário da Câmara (galerias) para acompanhar a votação.
Importante: a votação poderá se estender no período da noite. Por isso, as delegações devem programar seu retorno ao local de origem para após as 23 horas.
Contamos com a participação de todos/as!


Porque fator previdenciário prejudica o trabalhador – Atualmente, para se aposentar, um trabalhador precisa ter 35 anos de contribuição e 63 anos e quatro meses para ter direito a 100% do benefício. Já as mulheres devem ter 33 anos de contribuição e 61 de idade.

Por obra de FHC, que chamava os aposentados de vagabundos, o fator previdenciário passou a valer em 1998 e estabeleceu que o cálculo das aposentadorias só exclui 20% dos piores salários recebidos. Como a rotatividade da mão de obra no Brasil é grande, os trabalhadores perdem o emprego e, muitas vezes, conseguem outro ganhando menos, o que acaba rebaixando seus vencimentos.

Além disso, o tempo de contribuição aumenta a cada ano e o valor dos vencimentos diminuem  em função da média de expectativa de vida divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com a nova regra, bastaria ao trabalhador atingir o fator 85/95 para ter direito à aposentadoria integral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário